SOBRE O LIVRO A CABANA

Sobre o livro A Cabana

Postado por Domingos Pereira dos Santos em 31 dezembro 2009 às 14:57
Exibir tópicos
Eu recebi este livro de uma amiga a algum tempo, mas estava ocupado lendo outro que nao me permitia tirar a atençao dele. A alguns dias resolvi ler o livro A Cabana e li todo. O livro e apresentado como sendo uma ficçao, mas o autor Willain P. Yong afirma que escreveu tudo conforme o seu amigo Mackezie lhe contou, o que significa que a proposta do livro e apresentar o ocorrido como fato. Evidentemente, o livro traz afirmaçoes intrigantes que se chocam com algumas coisas que aprendemos na teologia. Eu, particularmente, gostei muito do livro.

Primeiramente o livro passa para o leitor a ideia correta de como devemos entender o interagir da trindade e de como ela funciona mesmo. Isso e importante porque tem gente que nao consegue entender bem a atuaçao de Deus. Nao sabem que a palavra "Deus" e apenas um subsatantivo comum e nao proprio, isto e, "Deus" e um termo que usamos para nos referirmos as tres pessoas da divindade simultaneamente. No livro o leitor, consegue entender bem isso, sem a necessidade de ilustraçoes.

O livro tambem causa demanda em nossos conceitos quando o Pai se apresenta a Mackenzie nao como um velho, um sabio, ou um ser reluzente, mas simplesmente como uma senhora de pele escura simpatica como se foss uma daquelas donas de casa sempre ocupada em alguma tarefa, mas que sabe exatamente o que se pasa ao seu redor. Uma teofania que acaba quebrando paradigmas principalmente em nosso mundo em que o racismo esta camuflado ate mesmo dentro das igrejas evangelicas, (sejamos honestos aqui).

A segunda pessoa da divindade, no caso, Jesus aparece de forma mais familiar, como sendo um carpinteiro, tambem sempre aterefado, mas que, como os outros, sempre tira um tempinho para dar especial atencao a Mackenzie. No final o leitor se surpreende com o presente que ele estivera preparando para Mackenzie.

Mas a terceira pessoa da divindade que conheemos como O Espirito Santo, tambem surpreende pela forma como nos e apresentada no livro. Seu nome e Sarayu seu aspecto nao e bem definido pois e quem mais parace se mostrar de forma, digamos, sobrenatural. Isso tambem pode causar demanda mas nao deveria uma vez que, na verdade, nao sabemos mesmo como e o Espirito Santo, a nao ser pelos titulos e figuras que o representa nas Escrituras Sagradas, a Biblia.


A historia e interessante. Comeca com um bilhete que Mackenzie recebe de Deus dizendo que quer se encontrar com ele na cabana, o lugar em que a sua filha caçula fora assassinada por um maniaco pervetido a cerca de tres anos atras. Intrigado, Mackenzie aceita o convite e resolve ir ate a cabana, e la que tudo acontece. Deus leva Mackenzie para, de forma especial, tratar das suas dores mais profundas de forma carinhosa, compreensiva e eficaz. Ele precisa entender um pouco sobre como o Eterno lida com as coisas, sem julga-lo como sendo um Deus ruim e insensivel, pois deixou sua filha morrer de forma tao horrivel.

Um conselho que dou aos biblicistas e que nao se apressem em fazer comentarios negativos, sem ao menos ler a obra. Mesmo que nao concordemos com tudo, nao temos o direito de despachar para a terra dos "nao presta" ou ate mesmo para a "terra dos hereges" sem ponderarmos com cuidado sobre o assunto. Eu sei que nem tudo o que envolve Deus e o sagrado esta dentro das Escrituras. Tem muita coisa que nao sabemos e fazemos bem em ter isso em mente.

Aconselho a quem desejar, que leia a Obra.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ORIGEM DA HOMILÉTICA E DA RETÓRICA

EXEMPLOS DE REQUISITOS NÃO FUNCIONAIS

1 e 2 SAMUEL